Pastoral

Guerra dos Sexos

man-woman
Tati Soeiro
Escrito por Tati Soeiro

“E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?
Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.
E disse o Senhor Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.
Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.
E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.
E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.
Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo.
No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.
E chamou Adão o nome de sua mulher Eva; porquanto era a mãe de todos os viventes.
E fez o Senhor Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu.
Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente,
O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.”
Gênesis 3. 11-23

 

Deus responsabilizou Adão e Eva. Adão foi responsabilizado por seu pecado, e Eva foi responsabilizada por seu pecado. Deus sabia que Eva pecou primeiro, e Adão pecou depois. Sabia que Eva foi enganada, e Adão não foi. Sabia que as causas e persuasões que levaram os dois a pecar eram diferentes. No entanto, embora Adão e Eva tenham pecado em horas e modos diferentes, para Deus”todos” pecaram e ficaram destituídos de sua glória. E assim seria durante toda a história da humanidade (Rm 3.23).

O homem e a mulher estavam no mesmo barco. Quando eles se deliciaram com o fruto proibido, a raça humana inteira caiu. O pecado de Adão e Eva não pegou Deus de surpresa. Seu maravilhoso plano de redenção havia sido traçado e desencadeado desde os primórdios. Gênesis nos oferece o primeiro indício desse plano. Após dar a Adão e Eva uma chance de se explicarem, Deus amaldiçoou a Serpente. Ele nem quis saber de suas desculpas. Simplesmente anunciou o castigo. Eva deve ter ouvido atentamente a maldição de Deus sobre quem tramou a sua queda. Primeiro, a Serpente que pareceu tão encantadora e convincente iria rastejar de cara no chão e comer pó para todo o sempre. Segundo haveria “inimizade” entre a mulher e a Serpente e também entre seus filhos. Isso não significa que as mulheres odiariam as serpentes (embora a maioria de nós odeie!). Significava algo mais profundo. Por último, Deus prediz: “Ele lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar”. Isso se refere à batalha entre Cristo e Satanás. Deus sabia que os dois iriam lutar, e um machucaria o outro. Entretanto as feridas de Cristo seriam curadas (e por meio delas os pecadores seriam curados); mas as feridas de Satanás seriam mortais. Jesus iria esmagar Satanás debaixo de seus pés.

Imagine o que Eva não sentiu naquele momento. Eva devia estar aterrorizada com a perspectiva do castigo divino. Pode ser que Deus tenha julgado a Serpente primeiro para que Adão e Eva entendessem o quanto ele os amava, e para que tivessem um pouquinho do plano maravilhoso. Deus queria que tivessem esperança. É impressionante que no Éden o Senhor tenha dado esperança de que o pecado seria derrotado, e fez isso antes mesmo de explicar ao homem e à mulher os efeitos da desobediência deles. Que Deus amoroso e generoso ele é! Neste mundo caído, todos nós sofremos a ruína causada pelo pecado, mas o desejo de Deus é que mantenhamos os olhos na esperança e libertação que vêm dele, e descansemos em seu poder de derrotar a Serpente e desfazer suas trapaças.

Vamos observar o cenário da queda de Adão e Eva:
O casal está junto no jardim;
A serpente se aproxima e não da a mínima para o homem, começando a conversa com a mulher;
A Serpente inicia a conversa com uma pergunta: “ Foi isto mesmo que Deus disse: ‘Não comam de nenhum fruto das árvores do jardim’?” (Gen 3.1)
A mulher não da a mínima para a presença do marido. Eva não diz à Serpente: “Gostaria de apresentar meu marido.” ou “Meu bem o que vamos fazer” ou “Adão porque você não conta o que Deus disse pra você?”
Ao contrario de tudo isso, Eva continua a conversa com a Serpente como se o marido não estivesse presente.
Na hora da decisão, Eva cuida de tudo sozinha. Não consulta o marido sobre um assunto tão importante. Não pede sua opinião, conselho, nada, ela simplesmente age: “Pegou e comeu” (Gen 3.6)
E o que Adão faz esse tempo todo?
O que muitas esposas dizem que seus maridos fazem em geral: NADA
Não interfere, não se envolve – a não ser para aceitar e comer passivamente o fruto que a esposa lhe entrega.

Deus criou o primeiro casal humano para que um complementasse o outro, e os dois trabalhassem em união. Mas no relato de Gênesis, quem “lidera e alimenta”? Não é o homem é a mulher. Quem responde em vez de iniciar? Não é a mulher, é o homem. E por que não cooperam um com o outro?

Existe algo muito errado nesse cenário. Desde daquela dia fatídico no jardim, a ordem primorosa criada por Deus tem sido danificada e deturpada pelo pecado. Depois da queda, Deus anunciou o castigo distinto para o homem e a mulher. O castigo da mulher seria diferente do castigo do homem. As sentenças estavam ligadas à maneira em que os gêneros sexuais foram criados, e ao modo que cada um destruiu o plano de Deus. Por serem diferentes, homem e mulher sofreriam os resultados do pecado de modos diferentes.

A primeira parte da punição da mulher, relatada em Gen 3.16, envolve seu relacionamento com os filhos. Deus disse que seu sofrimento na gravidez e no parto seria multiplicado. Por causa do pecado, ter filhos se tornou um processo muito mais difícil do que deveria ser. “Dar à luz filhos” inclui todas as funções hormonais e menstruais, assim como gravidez e parto. Nem todas nós sabemos o que é trabalho de parto e o parto em si. Mas todas sabemos como é lidar com os constantes desafios de viver num corpo de mulher. O aspecto físico de gerar filhos não é nada em comparação às suas dimensões emocional, física e relacional. “Dar à luz” envolve todo o processo de criar um filho e interagir com ele. A dor e a luta da maternidade são muito mais do que físicas. Eva descobriu isso quando seu filho mais velho matou o seu filho mais novo a sangue frio, motivado pela inveja. As mães sabem o que é “sofrer” por um filho. Ser mãe é um dos relacionamentos mais gratificantes, contudo, por causa do pecado, é o mais doloroso deste mundo.

Outro relacionamento profundamente atingido pelo pecado é o da mulher com os homens – especialmente com seu marido. O versículo 16 de Gênesis capítulo 3, se resume a uma coisa. Deus está dizendo à mulher: Você terá desejo de controlar, afrontar, e ir contra seu marido. Embora os dois devessem agir como uma só pessoa – em harmonia, paz e união -, existirá uma barreira entre vocês. Em vez de seguir a liderança de seu marido e servir e glorificar a Deus com ele, você vai querer tomar as rédeas e fazer as coisas do seu jeito. Esse foi o começo da guerra dos sexos. Deus criou o homem e a mulher para que fossem uma unidade harmoniosa. Mas o pecado mudou tudo. Ele danificou a suavidade da mulher. O pecado também danificou a força do homem. O pecado torce e distorce a essência da feminilidade e da masculinidade e causa dor ao relacionamento entre os dois. Ele joga um contra o outro.

A mulher não é a única a sofrer, Deus também sentenciou o homem ao sofrimento. Os homens receberam de Deus a inclinação para triunfar e prevalecer (no bom sentido). No entanto, por causa do pecado, tudo na vida lhes faz resistência e puxa-os para baixo, o trabalho faz isso; as finanças fazem isso; a esposa e os filhos agem assim; Embora se empenhe com todas as forças, o homem simplesmente não tem mãos suficientes para tapar todos os buracos. Nós estudamos em todas as nossas devocionais como Deus criou as coisas e viu que tudo era bom, mas em Gênesis 3 é revelado as consequências horríveis do pecado. Aquilo que Deus criou para exibir sua glória está manchado. Porém apenas com a intervenção divina tudo o que foi partido se torna inteiro novamente.

O problema no relacionamento entre casais não é o homem. É o pecado, e ele afeta tanto mulheres quanto os homens. Homens e mulheres talvez pequem de maneiras diferentes, mas a verdade é que TODOS pecaram e carecem da glória de Deus. As mulheres não são inocentes. As mulheres são pecadoras. Sendo assim não conseguimos endireitar os homens, nem o nosso relacionamento com eles. A verdade é que não conseguimos endireitar nem a nós mesmas. Contudo a esperança não havia morrido. Entrelaçada à maldição da serpente, vem a promessa divina de um Salvador. Adão abraça Eva na certeza que seriam redimidos e que juntos produziriam vida. O Senhor Deus fez roupas de pele e com elas vestiu Adão e sua mulher. Que marca poderosa da graça de Deus! Os aventais de folhas que o casal havia confeccionado não eram adequados. Os seres humanos não têm capacidade de cobrir o próprio pecado. Deus, porém, fez o que eles eram incapazes de fazer. Derramou o sangue de animal inocente e usou a pele para cobri-los. Deus cobriu a vergonha deles. Sozinhos jamais teríamos esperança de endireitar o relacionamento homem-mulher. Nossas “folhas” são totalmente inadequadas. Mas Jesus – o Cordeiro de Deus – se prontifica a cobrir nosso pecado e nos vestir com sua retidão, e tem poder para isso. Ele pode endireitar homens e mulheres. O paraíso foi perdido. No entanto, por intermédio de Jesus Cristo – e somente por meio dele – o paraíso pode ser restaurado.

Assine a nossa Newsletter

Assine a nossa Newsletter

Receba o melhor conteúdo do nosso blog direto no seu e-mail. Notícias, novidades e muita informação para você crescer em conteúdo e na fé. 

Basta você colocar o seu e-mail aqui embaixo e uma confirmação chegará para você. Deus Abençoe!

Sua assinatura foi registrada!

Sobre o Autor

Tati Soeiro

Tati Soeiro

Nasceu em 27 de setembro de 1981, na cidade de São Bernardo do Campo em São Paulo. Casada com Pastor Rodrigo Soeiro, mãe do Davi e do Lorenzo.
Formada em Odontologia pela Universidade Metodista, atualmente cursando Teologia na mesma.
Hoje atua na Adai como ministra de louvor e líder das mulheres.

Nenhum comentário até o momento.

  • Olá, visitante