Pastoral

Gênero sexual relevante

aquarela
Tati Soeiro
Escrito por Tati Soeiro

Gênesis 1. 26-27

“Deus disse: “Façamos os seres humanos à nossa imagem, de forma que reflitam a nossa natureza. Para que sejam responsáveis pelos peixes do mar, pelos pássaros no ar, pelo gado. E, claro, por toda a terra, por todo animal que se move na terra.” E Deus criou os seres humanos; criou-os à semelhança de Deus, refletindo a natureza de Deus. Ele os criou homem e mulher.”

A maioria de nós aprendemos que para instalar alguma coisa, devemos ou precisamos seguir as instruções do fabricante, se quisermos instalar direito. Entendemos que cada peça tem um propósito específico que se torna visível a medida que formos montando. Que bom que os fabricantes de seus produtos incluem as instruções no pacote. O projetista de um artigo é quem mais conhece a sua criação, sabe o porque e como o objeto é feito, como deve ser montado e como deve funcionar.

E esses mesmos princípios se aplicam em nós. Ninguém nos conhece tão bem quanto o nosso Designer, o nosso Criador. Ele sabe como e porque nos criou homem e mulher. Porque é o projetista, ele sabe a maneira correta de organizar e encaixar nossa vida e nossos relacionamentos de acordo com as especificações do projeto. É impossível entendermos o ensino bíblico sobre homens e mulheres sem primeiro entendermos o propósito de Deus em criá-los. E é sobre isso que iremos estudar nesta primeira devocional. Para entendermos o alicerce da verdadeira feminilidade, estudaremos os primeiros capítulos de Gênesis, lembrando de que o plano original de Deus para o homem e a mulher é bom, na verdade, na opinião de Deus ele é mais do que bom… é muito bom. (Gn 1.31)

Por mais óbvia que seja a importância de seguirmos as instruções do fabricante quando montamos algo, muitas mulheres (e homens) negligenciam isso quando “montam” suas vidas e seus relacionamentos. Sempre que deixamos de consultar o Fabricante e seguir suas instruções, acabamos numa confusão! Talvez você já tenha passado por isso, já tenha tentado construir alguma área de sua vida por conta própria, sem a orientação de Deus, e o resultado foi um caos. O nosso objetivo nessa devocional é de seguirmos as instruções do nosso Criador para descobrirmos qual é o propósito da nossa feminilidade.

Compartilhando:

Quando estou no consultório em um procedimento cirúrgico, antes de fazer a primeira incisão (corte), eu paro e respiro e tenho toda atenção sobre aquilo que estou fazendo, pois é um procedimento que requer todo meu cuidado e atenção. Acredito que não seja diferente quando um artista encosta seu pincel em um quadro para criar a sua obra prima.

No versículo de Gênesis que lemos no começo, notamos que Deus pára em reflexão antes do seu último e mais importante ato criativo; a frase “ Façamos o homem à nossa imagem” indica que foi algo planejado, Deus estava certo do que iria fazer. Ele havia planejado a obra bem antes da fundação do mundo. Ao comando de Deus as galáxias, os planetas, o sol e a lua foram criados e alinhados. Tudo estava no lugar, tudo estava pronto para este momento.

O homem e a mulher foram criados para refletir o Senhor Deus.
Exemplo: Quando observamos a foto de alguém, imaginamos a pessoa, mas não temos ela na presença física, porém a foto nos traz esse prazer de lembrarmos da pessoa. Assim como a foto, a humanidade oferece a imagem de como Deus é. Os humanos foram os únicos seres criados por Deus “a sua imagem”. Ser criado à imagem de Deus inclui a capacidade de partilharmos alguns aspectos da natureza de Deus:

  • os seres humanos tem personalidades;
  • tem habilidades para o amor;
  • inovação;
  • verdade;
  • sabedoria;
  • santidade;
  • justiça.

A Bíblia também afirma que ser criado à imagem de Deus possibilita ao homem ter comunhão espiritual com ele. Mais ainda, permite que o homem tenha domínio sobre a obra das mãos de Deus, e que governa a criação como representante de Deus.

Assim como uma foto tem o poder de nos trazer a imagem de alguém, da mesma forma, Deus espera que o coloquemos em exposição, para que todos os que olham para nós vejam a beleza de sua imagem. Ser a imagem de Deus é uma grande honra e responsabilidade. Segundo a Bíblia, ser mulher não é ficar toda bonita e exibir-se por aí. Nosso propósito na vida é colocar Deus em exposição, é refletir sua glória da maneira que nós mulheres fomos especialmente criadas a fazer.

A responsabilidade de refletir a imagem de Deus não foi dada a nós somente como indivíduos. O ser humano foi criado homem e mulher – em relacionamento – com o objetivo de expor algo sobre o relacionamento da Trindade.
Exemplo: Quando Deus fala em Gênesis 1. 26-27 – “Façamos a nossa imagem e semelhança”, podemos observar a união de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, o que devemos refletir na imagem de Deus que há em nós é essa união e comunhão.

Segundo a Bíblia, o relacionamento entre marido e mulher tem uma ligação fortíssima com a história de Cristo e sua noiva. Os homens foram criados para refletir o poder, o amor e o autossacrifício do Senhor Jesus. As mulheres foram criadas para refletir a sensibilidade, a graça e a beleza da noiva que Ele redimiu. E o casamento foi criado para refletir a aliança e união de Cristo e sua noiva.

No entanto, infelizmente, desde que o pecado entrou em cena, homens e mulheres nem sempre tratam com o respeito que deveria fluir de nossa posição de igualdade como portadores da imagem de Deus. É triste quando vemos homens tratarem as mulheres ou mulheres tratarem os homens, como seres inferiores, fico imaginando como fica o coração de Deus. Atitudes egoístas, palavras que rebaixam e ofendem, esses comportamentos são um ataque à imagem de Deus.

O livro de Tiago fala sobre isso.

“Não é de assustar? Podemos domar uma onça, mas não podemos domar a língua – ninguém nunca fez isso. A língua é veneno de cobra, uma assassina cruel. Com a língua bendizemos a Deus, nosso Pai; com a mesma língua amaldiçoamos homens e mulheres feitos à imagem de Deus. Palavrões, maldições, elogios e bênçãos saem todos da mesma boca!
Amigos assim não dá! Já viram uma fonte dar água pura num dia e água impura no outro? Um pé de manga produz maracujá? Uma laranjeira pode dar banana? É claro que não dá para tirar um copo de água pura de uma poça de lama”.

Tiago 3. 7-12

Muitas mulheres lutam com a autoestima. o mundo tenta nos convencer que temos de melhorar nossa autoestima. A sociedade incentiva mulheres a se valorizarem por meio da aparência física, educação, carreira profissional, dos bens materiais, relacionamentos e de suas habilidades personalidade.
A Bíblia tem um conceito bem diferente daquele feito pela sociedade. A Bíblia ensina que não precisamos de uma “autoestima” nas alturas; precisamos é desesperadamente é da “estima de Deus”.

 

“Quando contemplo os céus, escuros e imensos, tua joia celeste feita à mão, Lua e estrelas incrustadas no devido lugar, olho para mim e me pergunto: ‘Por que te importas conosco? Por que olhas uma segunda vez para nós?’. Ainda assim, por pouco deixamos de ser deuses, esplendorosos como a luz matinal do Éden. Tu nos encarregaste de cuidar do mundo feito por tuas mãos, repetiste para nós a incumbência do Gênesis: Fizeste-nos senhores das ovelhas e do gado, até mesmo dos animais selvagens; Dos pássaros nos ares, dos peixes nas águas, das baleias cantando nas profundezas do oceano”.
Salmos 8. 3-8

 

Quando vemos Deus como ele é – na grandiosidade de seu amor, majestade e bondade – obtemos uma perspectiva adequada de nós mesmas. Ficamos maravilhadas com o que significa ser criadas à sua semelhança e ser amadas por Ele. Somos, então, motivadas a tratar os outros com respeito e gentileza, reconhecendo que até mesmo o pior dos pecadores é portador da imagem de Deus, ainda que seja uma imagem distorcida.

 

“SIM, SENHOR DEUS!”
Compartilhando a história da escritora do livro:
Em uma conferência foram distribuídos lenços brancos bordados com a frase “Sim, Senhor Deus”, em um momento do culto foi pedido para que todas as mulheres levantassem seus lenços e abanassem bem alto diante de Deus como gesto de rendição. E ela a autora do livro conta que relutou em levantar e abanar o lenço, pois achou a ideia bobinha para aquele momento. Porém um sentimento começou a incomodar de o porque ela não queria fazer aquilo, e ela conclui com ela mesmo que dizer “Sim, Senhor Deus” com os lábios é uma coisa, mas dizer “Sim. Senhor Deus” com minhas ações é outra coisa bem diferente. Para ela participar de um gesto simbólico tão visível era simplesmente muito… visível. As pessoas iriam ver, e aí estava o problema, será que ela estava disposta a se levantar e dizer: “Sim, Senhor Deus”, quando esse gesto lhe causava incômodo ou desafia o seu orgulho?
O lenço bordado com a frase significa dizer sim a Jesus, significa ter a essência da verdadeira feminilidade, significa dizer não às vozes que clamam por nossa atenção, vozes da TV, da internet, das revistas, das propagandas, e de milhares de outras coisas que vivem pregando como as mulheres devem ser – como devemos nos vestir, pensar e agir, com o que devemos sonhar, e como devemos nos comportar no relacionamento com os homens.
Caso você diga sim a Deus, você terá que nadar contra maré da cultura popular. No entanto, descobrir e abraçar o desígnio de Deus para sua vida resultará em bençãos e alegria inacreditáveis. Você descobrirá sua verdadeira identidade e seu propósito. Você será quem Deus criou pra ser. Seus relacionamentos irão amadurecer e fortalecer, sua vida encaminhará outros a Cristo.
CONCLUSÃO
Aprendemos que a história do ser humano, homem e mulher, tem o propósito de exibir a glória de nosso Criador, e o relacionamento do homem e mulher, comparando com Cristo e a sua noiva (igreja). Que possamos sair daqui com a responsabilidade e temor para transmitir a imagem de Deus em nós.

Bibliografia:

Mulher sua verdadeira feminilidade – Design Divino

Mary A. Kassian

Nancy Leigh DeMoss

Assine a nossa Newsletter

Assine a nossa Newsletter

Receba o melhor conteúdo do nosso blog direto no seu e-mail. Notícias, novidades e muita informação para você crescer em conteúdo e na fé. 

Basta você colocar o seu e-mail aqui embaixo e uma confirmação chegará para você. Deus Abençoe!

Sua assinatura foi registrada!

Sobre o Autor

Tati Soeiro

Tati Soeiro

Nasceu em 27 de setembro de 1981, na cidade de São Bernardo do Campo em São Paulo. Casada com Pastor Rodrigo Soeiro, mãe do Davi e do Lorenzo.
Formada em Odontologia pela Universidade Metodista, atualmente cursando Teologia na mesma.
Hoje atua na Adai como ministra de louvor e líder das mulheres.

Nenhum comentário até o momento.

  • Olá, visitante