Louvor e Adoração Missões Pastoral

Coragem! (Sermão do dia 20/07/16)

fluxo-de-sangue
Rodrigo Soeiro
Escrito por Rodrigo Soeiro

Marcos 5:21-34

Tendo Jesus voltado de barco para a outra margem, uma grande multidão se reuniu ao seu redor, enquanto ele estava à beira do mar. Então chegou ali um dos dirigentes da sinagoga, chamado Jairo. Vendo Jesus, prostrou-se aos seus pés e lhe implorou insistentemente: “Minha filhinha está morrendo! Vem, por favor, e impõe as mãos sobre ela, para que seja curada e viva”. Jesus foi com ele. Uma grande multidão o seguia e o comprimia. E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia. Ela padecera muito sob o cuidado de vários médicos e gastara tudo o que tinha, mas, em vez de melhorar, piorava. Quando ouviu falar de Jesus, chegou-se por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, porque pensava: “Se eu tão-somente tocar em seu manto, ficarei curada”. Imediatamente cessou sua hemorragia e ela sentiu em seu corpo que estava livre do seu sofrimento. No mesmo instante, Jesus percebeu que dele havia saído poder, virou-se para a multidão e perguntou: “Quem tocou em meu manto? ” Responderam os seus discípulos: “Vês a multidão aglomerada ao teu redor e ainda perguntas: ‘Quem tocou em mim? ’ ” Mas Jesus continuou olhando ao seu redor para ver quem tinha feito aquilo. Então a mulher, sabendo o que lhe tinha acontecido, aproximou-se, prostrou-se aos seus pés e, tremendo de medo, contou-lhe toda a verdade. Então ele lhe disse: “Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento”.

Introdução

Antes da minha viagem aos EUA, eu preguei um texto que fala sobre a libertação que Jesus realizou na vida de um homem que vivia em Gadara!

Fazendo um resumo do sermão daquele dia, o homem que era o mais endemoniado de todos os homens daquela região, após o encontro com Jesus foi milagrosamente liberto e se tornou o evangelista mais eficiente na região que ele vivia e nas cidades próximas a Gadara. Ou seja, Jesus resolveu vencer todas as barreiras preconceituosas daquela época, visitando um lugar impuro, que era Gadara, tocando numa pessoa impura, que era o endemoniado, e o melhor, Jesus não se tornava impuro realizando esse movimento missionário, muito pelo contrário, pelo poder que havia nEle mesmo, purificou aquele homem e também fez dele um instrumento de purificação para toda aquela região!

Enredo

Enfim…

Jesus saiu daquela região de Gadara com os seus discípulos, enfrentou o mar novamente e voltou para a região da Palestina. Chegando no local que desejava, uma multidão o cercava e o comprimia. No meio daquela muvuca toda um dos líderes dos fariseus chamado Jairo se prostrou aos pés de Jesus pedindo uma coisa: Minha filhinha está morrendo, Jesus! Vem, por favor, e impõe as mãos sobre ela, para que seja curada e viva.

Em outras palavras o tal do Jairo estava dizendo o seguinte: Jesus, minha filha está impura… Está doente… Porém eu sei que se o Senhor a tocar… O Senhor a purificará e por consequência a curará!

Jesus se sensibilizou com o pedido do Jairo e eles então caminharam em direção a casa que se encontrava a tal da adolescente doente. Durante o trajeto à casa de Jairo, com a multidão apertando, empurrando e comprimindo Jesus de todas as formas, o texto vem relatar que uma mulher que sofria de hemorragia constante há 12 anos, que sofria nas mãos dos médicos há 12 anos, e que tinha perdido todos os seus bens por conta da enfermidade nos últimos 12 anos, por ouvir falar de Jesus, decidiu tocar nEle para ser curada. Porém, dentro do código judaico de purificação, se tinha alguém que não poderia tocar em alguém era ela. Dois motivos:

1. Ela era mulher… E mulher não poderia tocar em nenhum homem que não fosse seu!

2. Ela era doente… Pessoas doentes não poderiam tocar em ninguém naquela sociedade!

Porém, mesmo sabendo do código judaico de purificação, mesmo tendo essa bagagem negativa física e emocional nos últimos 12 anos, ela falou com sigo mesma: Se eu tão-somente tocar em seu manto, ficarei curada. Não deu outra! Ela chegou por trás da multidão, tocou na parte de cima das vestes de Jesus, detalhe esse, que o português não traz mas o texto no grego trás. Ou seja, ela não empurrou Jesus como a multidão empurrava, não apertou Jesus como a multidão estava apertando, não comprimiu Jesus como a multidão estava comprimindo. Tanto é verdade, que o verbo usado no texto original pra falar do toque da multidão é o verbo Sunthlibontá! E o verbo usado no texto original pra falar do toque da mulher é o Apsiomai! Ou seja, ela tocou superficialmente nas vestes de Jesus, porém foi um toque suficientemente virtuoso para curá-la instantaneamente.

Quando o toque aconteceu, Jesus parou e perguntou: Alguém tocou na minha roupa… Quem foi? Os discípulos disseram… Jesus, o senhor está tirando com a gente! Desde que a gente saiu do barco a galera te aperta o povo de empurra, a multidão te comprimi e o Senhor vem perguntar quem te tocou? Jesus falou pra eles… Quem está tirando comigo são vocês! (rs) Eu não estou perguntando quem está me apertando… Eu não estou perguntando quem está me empurrando… Eu não estou perguntando quem está me comprimindo… Eu não estou perguntando quem fez o Sunthlibontá… Eu estou perguntando quem fez o Apisomai em mim… Eu estou perguntando quem me tocou de verdade!

Os discípulos não souberam responder!

Jesus então faz um 360 graus pra achar a pessoa, e no meio de tanta gente a mulher do fluxo que poderia muito bem se esconder, não fez isso… Mas se entregou e caiu de medo no chão! Caiu de medo porque ela sabia que o que ela tinha feito era algo errado, afinal, ela infringiu o código de pureza judaica. Tanto é verdade, que o texto no original vem dizer que ela caiu sobre os pés de Jesus, mas não caiu para adorá-lo.

Ela caiu esperando a punição das mais severas da parte de Jesus, a ponto dela ficar tremendo de medo esperando o pior. Porém pra surpresa dela e de todos que assistiam a cena (inclusive Jairo), a palavra de Jesus não foi exclusivista como a dos fariseus nos últimos 12 anos, não deixando ela entrar na sinagoga… A palavra de Jesus não foi como a dos seus familiares nos últimos 12 anos, que nem queriam convidá-la para um almoço de domingo… Não foi como a da sua aldeia nos últimos 12 anos que desejava distancia dela… Não foi como a dos médicos nos últimos 12 anos que tiraram todo o dinheiro dela… A palavra de Jesus foi… “Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento”.

Em outras palavras….  Filha… Você entendeu que me empurrar é uma coisa… Me tocar com fé é outra coisa totalmente diferente! Por conta disso, vá em paz e fique livre do seu sofrimento!

Em resumo…

Essa mulher recebeu de Jesus muito mais do que ela buscava, pois ao confirmar publicamente a sua cura, Jesus estava livrando ela de todos os seus temores, preparando o terreno para que ela fosse aceita novamente no convívio social, familiar e religioso, devolvendo-lhe a dignidade e a liberdade! Ou seja, ela ia poder voltar pra casa… Ela ia poder frequentar a igreja… Ela ia poder voltar para a sua aldeia e nunca mais iria ser extorquida pelos médicos que tinham tirado todo o seu dinheiro! Ou seja, Jesus não promoveu apenas uma cura de sangramento uterino constante, mas ele mudou a vida dela por completo… Corpo, alma e espírito!

Aplicação

Muitas coisas a gente pode aplicar desse texto, porém eu quero levantar apenas dois pontos que entendo como importantes!

1. 

Receber virtude da parte de Deus não está proporcionalmente ligado ao QUANTO estamos perto dEle, mas do COMO estamos perto dEle! Ou seja… Qual motivação que nos leva a ficarmos perto dEle!

O fato de estarmos perto de Jesus, não significa que receberemos dEle a virtude que tanto precisamos. Perceba no texto que tinha gente pelo ladrão no cangote de Jesus, mas não estavam conseguindo absorver o que Ele tinha de melhor! E a pergunta que a gente tem que fazer… O que Ele tinha de melhor? Purificação. Aquela mulher fez o que fez, pois ela acreditava piamente que a impureza que havia no seu corpo não era maior que o poder da pureza que fluiria através de Jesus!

2.

O que Jesus fez com essa mulher é o modelo mais clássico e perfeito que a Igreja dEle deve fazer aqui na terra!

Jesus aqui curou o corpo dela, onde nunca mais ela teria o sangramento contínuo. Jesus aqui curou a alma dela, onde ela estaria voltando ao convívio social. E Jesus também curou o seu espírito, pois agora curada ela poderia voltar a igreja e ter uma vida religiosa saudável.

Que a ADAI e tantas outras igrejas relevantes possam exercer esse mesmo movimento missionário de Jesus! Que possamos entender que falar de Jesus num culto é muito importante… Cuidar da vida espiritual das pessoas é muito importante, porém não é tudo! Precisamos também cuidar do emocional e do físico das pessoas que passarem pelas portas da nossa igreja!

Como fazer isso?

Pensando na questão espiritual…

É continuarmos a ofertar a Deus o melhor culto que conseguirmos e montarmos times de servos-voluntários apaixonados em querer servir as pessoas que entrarem por essas portas!

Pensando na questão emocional…

É continuarmos com a AMAI aberta na promoção de aulas de inglês, música, teatro… É continuarmos com o nosso ministério de missões oferecendo abraços gratuitos no meio da rua… Etc…

Pensando na questão física…

Que possamos tirar o supermercado comunitário do papel… Que possamos inaugurar o ADAI Care, ou seja, o nosso ambulatório… Que possamos construir o pronto socorro lá na tribo indígena… E por aí vai!!

“Somos uma igreja que adora a Deus, crê em Jesus Cristo, e através do Espírito Santo está em missão para ver o Reino do céus estabelecido na terra!”

Conclusão

Minha oração é que possamos tocar nas vestes de Jesus com a única e exclusiva motivação da purificação por meio da Sua Palavra, e através dessa purificação, possamos levar uma cura integral a todos que passarem pelo caminho de nossa igreja!

Ser do segmento de Jesus é caminhar com Ele, seguindo seus passos na luta por uma comunidade mais espiritual, justa, humana e inclusiva. (Rodrigo Morais – Pr. Metodista no Paraná)

No amor de Cristo Jesus,

Rodrigo Soeiro.

Assine a nossa Newsletter

Assine a nossa Newsletter

Receba o melhor conteúdo do nosso blog direto no seu e-mail. Notícias, novidades e muita informação para você crescer em conteúdo e na fé. 

Basta você colocar o seu e-mail aqui embaixo e uma confirmação chegará para você. Deus Abençoe!

Sua assinatura foi registrada!

Sobre o Autor

Rodrigo Soeiro

Rodrigo Soeiro

Rodrigo Soeiro nasceu em 03 de fevereiro de 1.985 em São Paulo. É esposo da Tatiane e pai do Davi e do Lorenzo. Além de cantor, músico, compositor, arranjador, ele também é pastor da Igreja Assembleia de Deus Alto do Ipiranga, conhecida como ADAI.

3 comentários

  • Olá, visitante