Pastoral

Poder que movimenta! (Sermão do dia 30/08/16)

wallpaper-igreja-de-madeira-linda-3409
Rodrigo Soeiro
Escrito por Rodrigo Soeiro

Lucas 24. 44-49

“E disse-lhes: “Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. E lhes disse: “Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas. Eu lhes envio a promessa de meu Pai; mas fiquem na cidade até serem revestidos do poder do alto”.”

Introdução

“A igreja local é a esperança do mundo.” Bill Hybels

Contextualização da Perícope

O texto que lemos se encontra em uma das passagens mais extraordinárias da Bíblia Sagrada, a ressureição de Jesus Cristo. É óbvio que a maioria de vocês sabem que o ministério terreno de Jesus durou aproximadamente 3 anos e que nesse período ele formou um time de 12 discípulos, curou milhares de enfermos, multiplicou alimentos para algumas multidões, andou sobre o mar… Enfim… Realizou muitas maravilhas!

Porém o mais especial de tudo isso é que enquanto fazia todas essas coisas, Ele não deixava de fazer a sua mais nobre missão: falar sobre o Reino de Deus e a sua Justiça. Numa sociedade onde o Império Romano mandava e desmandava, e onde os princípios e valores estavam cada vez mais injustos e demoníacos, Jesus vinha na contra-mão do sistema falando e pregando sobre princípios e valores do reino de Deus, confrontando assim o Reino dos homens!

Resultado de tamanha coragem?

Morte e a morte mais cruel da época… A morte de Cruz!

Jesus morreu. Os discípulos sentiram-se vendidos na história pois viam em Jesus a figura daquele que poderia destruir o Império Romano, mas que infelizmente não destruiu. Muito pelo contrário. Com a morte de Jesus, aparentemente o Império das Trevas tinha vencido o Império da Luz.

Porém na madrugada de Domingo, o inexplicável aconteceu, Jesus ressuscitou! Depois de ressuscitado Ele ficou 40 dias com seus discípulos e nesse período fez uma espécie de resumão de tudo aquilo que Ele tinha ensinado nos últimos 3 anos. E antes da sua partida, deu algumas orientações vitais pra Igreja.

Enredo

No texto de Lucas 24, Jesus disse aos discípulos…

Vocês se lembram quando eu falava pra vocês que eu ia morrer mas vocês não davam a mínima pra mim? Vocês se lembram quando eu falava que eu ia sofrer mas vocês se faziam de desentendidos?!

O texto relata que quando Jesus disse isso, as escamas caíram dos olhos dos discípulos e eles começaram a entender o que Jesus estava tentando dizer durante os três anos de seu ministério. Naquele momento o entendimento dos discípulos foi aberto de tal modo que eles começaram a entender que a proposta de Jesus não era de destruir estruturalmente o Império Romano, mas de fazer algo muito mais nobre: redimir os pecados de toda humanidade. Ou seja, Jesus não queria tratar a carcaça do Império Romano, não queria tomar o lugar de César, muito menos de Herodes, muito menos de Pilatos… Mas queria tratar a essência daquela sociedade que estava cada vez mais injusta, demoníaca e longe de Deus!

Quando finalmente eles entenderam tudo isso, o texto relata que Jesus disse o seguinte… Meus discípulos, o meu papel eu já fiz, porém a Missão da propagação do Reino de Deus não é mais minha, agora eu coloco sobre a responsabilidade de vocês e pra que essa missão aconteça de maneira eficiente, dois detalhes são importantes:

1. Esse movimento de propagação do meu Evangelho deverá ocorrer de dentro para fora. Ou seja, deve acontecer de Jerusalém para os confins da Terra!

2. Sozinhos vocês não vão conseguir. Eu mandarei uma promessa, uma capacitação do alto, um revestimento de poder tão sobrenatural que somente assim o Evangelho percorrerá os quatro de Jerusalém e os quatros cantos dessa terra.

Em resumo, se vocês tiverem a paciência de ficarem em Jerusalém e receberem da minha parte um revestimento de poder, aí sim o movimento será brilhante! Tudo o que Eu fiz vocês conseguirão fazer. Os enfermos serão curados, os cativos libertos, os pecadores serão perdoados e os valores e princípios do meu Reino repousarão sobre a vida de milhares e milhares que me aceitarem!

Aplicação

Como eu posso aplicar esse texto? Qual é o ponto de partida? O que eu tenho que fazer na prática para eu exercer a curto prazo uma vida missionária relevante?!

Princípio 1.

O processo do ENVIO MISSIONÁRIO se desenvolve no momento que estabelecemos raízes em nossa base de origem!

Ouça o que Jesus relata no texto: “Eu vou enviá-los a Missão, mas quero que primeiramente vocês fiquem em Jerusalém!”

O que Jesus estava querendo dizer é o seguinte: Antes de vocês saírem pelo Mundo, estabeleçam raízes na Jerusalém de vocês, ou seja, frutifiquem na base de vocês!

Infelizmente essa é uma das grandes crises que vivemos nas igrejas locais. Pessoas que desejam ser enviadas por Deus, mas não querem estabelecer raízes no seu lugar de origem. Pessoas que são cínicas à causa de Cristo na Igreja Local que frequentam, mas que infelizmente se escondem atrás de discursos missionários fracos, achando que vão frutificar em outros lugares, sendo que na sua própria igreja local não conseguem produzir nada.

Princípio 2.

O processo do ENVIO MISSIONÁRIO se estabelece quando humildemente reconhecemos que sem o poder de Deus, seremos absolutamente irrelevantes na sociedade!

Ouça o que Jesus relata no texto: “Eu vou enviá-los a Missão, mas quero que primeiramente vocês fiquem em Jerusalém, pois em Jerusalém vocês serão revestidos de poder!”

O que Jesus estava querendo dizer é o seguinte: Se vocês estabelecerem raízes na Jerusalém de vocês… Se vocês frutificarem a Base de vocês… Eu vos revestirei de poder, e aí sim estarão aptos a encarar a vida missionária além das fronteiras de Jerusalém!

No original a palavra traduzida por Poder é Dínamos e significa Poder em Movimento. Ou seja, quando criamos raízes e frutificamos em nossas Igrejas Locais, o próprio Senhor se encarrega de nos revestir de um poder tal que nos movimenta, dando condições de encarar a vida missionária além das paredes de nossas igrejas. É como um selo vindo do próprio Deus nos presenteando pela obediência, e por consequência nos enviando para lugares além das nossas fronteiras!

Conclusão

Minha oração para esse dia é que possamos cada vez mais estabelecer raízes e frutos em nossas igrejas locais, e enfim, possamos esperar o sim de Deus, para estabelecermos raízes e frutos em bairros, cidades, estados e países diferentes!

Quando uma igreja local estabelece raízes missionárias na sua “Jerusalém” e se permite ser usada pelo Espírito Santo, a curto, médio e longo prazo, se torna a esperança do mundo através do nome de Jesus Cristo!

Assine a nossa Newsletter

Assine a nossa Newsletter

Receba o melhor conteúdo do nosso blog direto no seu e-mail. Notícias, novidades e muita informação para você crescer em conteúdo e na fé. 

Basta você colocar o seu e-mail aqui embaixo e uma confirmação chegará para você. Deus Abençoe!

Sua assinatura foi registrada!

Sobre o Autor

Rodrigo Soeiro

Rodrigo Soeiro

Rodrigo Soeiro nasceu em 03 de fevereiro de 1.985 em São Paulo. É esposo da Tatiane e pai do Davi e do Lorenzo. Além de cantor, músico, compositor, arranjador, ele também é pastor da Igreja Assembleia de Deus Alto do Ipiranga, conhecida como ADAI.

Nenhum comentário até o momento.

  • Olá, visitante