Pastoral

Construtores de Comunhão

oi
Rodrigo Soeiro
Escrito por Rodrigo Soeiro

Filemom 1:1-25

Paulo, prisioneiro de Cristo Jesus, e o irmão Timóteo, a você, Filemom, nosso amado cooperador, à irmã Áfia, a Arquipo, nosso companheiro de lutas, e à igreja que se reúne com você em sua casa. A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. Sempre dou graças a meu Deus, lembrando-me de você nas minhas orações, porque ouço falar da sua fé no Senhor Jesus e do seu amor por todos os santos. Oro para que a comunhão que procede da sua fé seja eficaz no pleno conhecimento de todo o bem que temos em Cristo. Seu amor me tem dado grande alegria e consolação, porque você, irmão, tem reanimado o coração dos santos. Por isso, mesmo tendo em Cristo plena liberdade para mandar que você cumpra o seu dever, prefiro fazer um apelo com base no amor. Eu, Paulo, já velho, e agora também prisioneiro de Cristo Jesus, apelo em favor de meu filho Onésimo, que gerei enquanto estava preso. Ele antes lhe era inútil, mas agora é útil, tanto para você quanto para mim. Mando-o de volta a você, como se fosse o meu próprio coração. Gostaria de mantê-lo comigo para que me ajudasse em seu lugar enquanto estou preso por causa do evangelho. Mas não quis fazer nada sem a sua permissão, para que qualquer favor que você fizer seja espontâneo, e não forçado. Talvez ele tenha sido separado de você por algum tempo, para que você o tivesse de volta para sempre, não mais como escravo, mas, acima de escravo, como irmão amado. Para mim ele é um irmão muito amado, e ainda mais para você, tanto como pessoa quanto como cristão. Assim, se você me considera companheiro na fé, receba-o como se estivesse recebendo a mim. Se ele o prejudicou em algo ou lhe deve alguma coisa, ponha na minha conta. Eu, Paulo, escrevo de próprio punho: Eu pagarei — para não dizer que você me deve a sua própria pessoa. Sim, irmão, eu gostaria de receber de você algum benefício por estarmos no Senhor. Reanime o meu coração em Cristo! Escrevo-lhe certo de que você me obedecerá, sabendo que fará ainda mais do lhe que peço. Além disso, prepare-me um aposento, porque, graças às suas orações, espero poder ser restituído a vocês. Epafras, meu companheiro de prisão por causa de Cristo Jesus, envia-lhe saudações, assim como também Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores. A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o espírito de todos vocês.

Enredo

Esse texto que a gente acabou de ler é um pequeno bilhete que o Apóstolo Paulo, mesmo estando preso, resolveu escrever para um homem de nome Filemom!

Quem era Filemom?

Filemom era esposo de uma mulher de nome Áfia. Casal esse que conheceu o evangelho de Jesus Cristo por meio de Paulo. Ambos eram extremamente gratos a Paulo pelo fato dele ter apresentado o plano de salvação pra eles. Enfim, Filemom e Áfia se tornaram tão apaixonados por Jesus Cristo, que esse casal decidiu abrir dentro da casa deles uma espécie de Grupo de Conexão, Célula, Pequeno Grupo, etc! O que antes era apenas um casal novo convertido ao evangelho, agora já estavam atuando com líderes de um pequeno rebanho dentro da casa deles, ou seja, Paulo como seu discipulador tinha muito orgulho de ve-los tão relevantes na propagação do Reino de Deus! Tanto é verdade que ele escreveu:

Filemom, nosso amado cooperador, à irmã Áfia, a Arquipo, nosso companheiro de lutas, e à igreja que se reúne com você em sua casa. A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. Sempre dou graças a meu Deus, lembrando-me de você nas minhas orações, porque ouço falar da sua fé no Senhor Jesus e do seu amor por todos os santos. Oro para que a comunhão que procede da sua fé seja eficaz no pleno conhecimento de todo o bem que temos em Cristo. Seu amor me tem dado grande alegria e consolação, porque você, irmão, tem reanimado o coração dos santos.”

Até esse momento da carta, estava indo muito bem as coisas para o Filemom! Porém no meio dela, acredito que o Fliemom tomou um susto mediante o que Paulo tinha escrito pra ele. Segue:

Eu, Paulo, já velho, e agora também prisioneiro de Cristo Jesus, apelo em favor de meu filho Onésimo, que gerei enquanto estava preso. Ele antes lhe era inútil, mas agora é útil, tanto para você quanto para mim. Mando-o de volta a você, como se fosse o meu próprio coração. Gostaria de mantê-lo comigo para que me ajudasse em seu lugar enquanto estou preso por causa do evangelho. Mas não quis fazer nada sem a sua permissão, para que qualquer favor que você fizer seja espontâneo, e não forçado. Talvez ele tenha sido separado de você por algum tempo, para que você o tivesse de volta para sempre, não mais como escravo, mas, acima de escravo, como irmão amado. Para mim ele é um irmão muito amado, e ainda mais para você, tanto como pessoa quanto como cristão. Assim, se você me considera companheiro na fé, receba-o como se estivesse recebendo a mim. Se ele o prejudicou em algo ou lhe deve alguma coisa, ponha na minha conta. Eu, Paulo, escrevo de próprio punho: Eu pagarei — para não dizer que você me deve a sua própria pessoa. Sim, irmão, eu gostaria de receber de você algum benefício por estarmos no Senhor. Reanime o meu coração em Cristo! Escrevo-lhe certo de que você me obedecerá, sabendo que fará ainda mais do lhe que peço”.

Pra você que nunca leu esse texto, deixa eu te explicar a bucha que Paulo pediu pra Filemom!

Naquele momento da história, mesmo Filemom tendo se convertido ao cristianismo e já sendo um líder de um pequeno grupo cristão na casa dele, Filemom era dono de uma senzala, ou seja, ele era dono de um monte de escravos. Um belo dia, um dos seus escravos de nome Onésimo roubou algo dele e fugiu. Só que o curioso, é a gente descobrir lendo no próprio texto bíblico o local que esse escravo foi parar! Que lugar foi esse?  O local onde Paulo estava preso. O Onésimo tinha a oportunidade de fugir para qualquer local do império romano, mas ainda sim ele decidiu se abrigar sob as asas de um preso chamado Apóstolo Paulo!

A pergunta que não quer calar: Por que esses escravo de nome Onésimo foi fugir justamente em direção ao Apóstolo Paulo?

A resposta mais coerente que eu e a maioria dos teólogos do mundo defendem é… Onésimo estava tão arrependido de ter roubado Filemom e ter fugido, que agora desejava ser um cristão… Só que ele não tinha clima para participar da célula na casa de do Filemom, e por conta disso ele procurou o Apóstolo Paulo. Quando Paulo percebeu esse arrependimento no Onésimo e uma genuína conversão ao evangelho, ele ficou tão sensibilizado, que decidiu escrever uma carta para o Filemom.

Ou seja… Paulo aqui se posiciona como uma ponte entre o escravo fugitivo e o senhor decepcionado!

Paulo poderia muito bem não querer se envolver com essas situação… poderia muito bem ter ficado imune a essa briga de relação escravagista… mas não! Paulo viu nessa situação uma grande oportunidade de ser um Construtor de Comunhão, refazendo uma ponte que poderia trazer benefícios não somente para o Onésimo, o escravo, mas principalmente para o Filemom, o patrão!

Pra Onésimo… Paulo queria ensinar que nessa vida tudo o que a gente planta, a gente colhe. E se ele teve a coragem de roubar algo do seu patrão, ele teria que ter essa mesma coragem para pedir perdão! Pra Filemom… Paulo queria ensinar que a partir do momento que nós desejamos ser líderes de um pequeno grupo, pastor de um rebanho, etc… Aquele que se encontra no mesmo teto que a gente nunca poderá ser um burro de carga, um escravo, ou uma coisa irrelevante… Mas deverá ser um verdadeiro irmão em Cristo Jesus!

Mediante a explicação dessa historia, eu quero ler novamente esse bilhete de Paulo, só que na versão da Bíblia A Mensagem:

Filemom, na condição de embaixador de Cristo e agora prisioneiro por causa dele, eu não hesitaria em ordenar, se fosse necessário, mas prefiro fazer um pedido pessoal. Aqui na prisão, adotei um filho, digamos assim. E aí está ele, entregando pessoalmente essa carta – Onésimo! Antes, ele era inútil para você; agora é útil para nós dois. Eu o estou enviando de volta a vocês, mas com isso me sinto como se tivesse amputado um braço. Eu queria mantê-lo aqui, enquanto você se esforça pra ajudar aí livre, e eu, aqui de dentro, preso por causa da Mensagem. Mas eu não quis fazer nada sem o seu conhecimento nem obrigá-lo a praticar uma boa ação sem estar disposto a práticas-la. Talvez tenha sido melhor que você o perdesse por um tempo. Você o está recuperando agora com uma vantagem – não como simples escravo, mas como verdadeiro irmão em Cristo! Foi que ele significou para mim e será muito mais para você! Portanto, se você ainda me considera um companheiro, receba-o de volta como se recebesse a mim. Se ele estragou algo ou deve alguma coisa a você, ponha na minha conta. Esta é minha assinatura pessoal – Paulo. Assumo essa dívida (não preciso lembrar que você me deve a vida, preciso?). Amigo, faça-me esse grande favor. Você fará isso para Cristo, mas também fará bem ao meu coração. Conheço você o bastante para saber que me atenderá. Imagino que fará ainda mais do que pedi!”

Olha que demais… Paulo, mesmo estando preso, não tendo nada a ver com a situação, se preocupou em ser um Construtor de Comunhão entre duas pessoas que mal conseguiam ser ver!

Conclusão

Minha oração pra esse dia… É que possamos identificar em nossa casa, parentes, igreja, serviço… Filemon’s que não querem ver Onésismo’s nem “pintado de ouro” e vice-versa, e ainda sim, sermos Construtores de Comunhão por meio do Evangelho de Jesus Cristo!

Assine a nossa Newsletter

Assine a nossa Newsletter

Receba o melhor conteúdo do nosso blog direto no seu e-mail. Notícias, novidades e muita informação para você crescer em conteúdo e na fé. 

Basta você colocar o seu e-mail aqui embaixo e uma confirmação chegará para você. Deus Abençoe!

Sua assinatura foi registrada!

Sobre o Autor

Rodrigo Soeiro

Rodrigo Soeiro

Rodrigo Soeiro nasceu em 03 de fevereiro de 1.985 em São Paulo. É esposo da Tatiane e pai do Davi e do Lorenzo. Além de cantor, músico, compositor, arranjador, ele também é pastor da Igreja Assembleia de Deus Alto do Ipiranga, conhecida como ADAI.

3 comentários

  • Olá, visitante